sábado, 9 de junho de 2012

Os Super-Heróis brasileiros


Vocês pensaram que só existiam super-heróis nos Estados Unidos, como Os Vingadores ou a Liga da Justiça ? Estavam enganados.

Durante as décadas de 1950 e 1960, veio a tona os nossos primeiros super-heróis em quadrinhos. De certa forma, eles conseguiram uma certa relevância em torno do Brasil, alcançando pontos positivos em suas vendas. Mas infelizmente, com a forte concorrência dos americanos e por sua incansável influência, a maioria dos leitores brasileiros deixaram de lado os nossos próprios heróis e, aderiram logo em seguida, as revistas estadunidenses.

Com essa dificuldade, especialmente vinda dos americanos, fica estranho achar que ja existiu algum dia, um super-herói brasileiro. Conheça então agora, alguns heróis que foram criados para denfender o nosso país. Alguns caíram no esqueçimento, mas outros ainda estão na ativa.

  CAPITÃO 7 

Capitão 7 para quem não conheçe, foi criado por Rubem Biáfora, na TV Record.

O número "7", é uma alusão ao canal onde era passado a série, tendo Ayres Campos , como representante do herói. O programa estreou em 24 de setembro de 1954 e a princípio, o seriado era realizado ao vivo e depois de um certo tempo, gravado.

Pelo que parece, seu nome verdadeiro é Carlos. Quando criança, Carlos foi levado por alienígenas ao Sétimo Planeta (daí seu codinome), onde cresceu aprimorando corpo e mente. Já adulto, retornou à Terra. Em sua identidade civil, Carlos é um brilhante químico e quando a situação exigia a presença de um herói, ele se transformava no Capitão 7.

Seu arqui-inimigo se chama O Caveira. Quando o bandido Cid, foi capturado pelo Capitão 7, tentou escapar da prisão, mas acabou por destruir seu rosto nas cercas elétricas. Jurando vingança contra o herói que o aprisionou, Cid passa a utilizar uma máscara e assume a identidade de O Caveira.

O Capitão 7 é capaz de voar e se mover com grande velocidade. Também possui super-força e é praticamente invulnerável, além de ser capaz de resistir a ambientes inóspitos (como, por exemplo, viajar através do vácuo). Seus poderes, no entanto, funcionam completamente apenas enquanto estiver utilizando seu uniforme especial, que Carlos mantém guardado em uma caixa de fósforos enquanto se mantém em sua identidade civil. Sempre que necessário, o Capitão ainda pode viajar até o Sétimo Planeta e recorrer à ajuda de seus patronos, donos de uma ciência e tecnologia muitíssima mais avançadas do que as do planeta Terra.

Existe tambem várias comparações, entre o Capitão 7 e o famoso Superman.

RAIO NEGRO


O Raio Negro, foi criado por Gedeone Malagola cuja origem é parecida com a do Lanterna Verde.  O uniforme do herói se assemelha ao do Cíclope dos X-Men, mas segundo Gedeone, o visor usado pelo Raio Negro nada tem haver com o visor do Ciclope e sim com um óculos de um personagem das tiras Terry e os Piratas de Milton Caniff.

Raio Negro foi criado por Gedeone Malagola a pedido de Jayme Cortez. Inicialmente, Gedeone mostrou o Homem-Lua mas esse personagem foi recusado. Para mostrar o que queria, Cortez apresentou a Gedeone revistas dos heróis da DC Comics: Flash, Lanterna Verde e Adam Strange. Dos três, o Lanterna Verde foi o personagem que mais agradou Gedeone e assim ele elaborou a origem do Raio Negro baseada na desse herói. Uma diferença, é que enquanto o americano Hal Jordan (identidade do Lanterna Verde) era um aviador civil, o brasileiro Roberto Salles (o Raio Negro) era um piloto militar da FAB (Força Aérea Brasileira).

Tenente Roberto Salles é um piloto da FAB, e é enviado da Barreira do Inferno, ao espaço numa missão secreta em voo orbital. Encontra e é capturado por um disco voador. No interior da nave, está um ser agonizante chamado Lid, oriundo do planeta Saturno, que o orienta até chegar ao planeta. Mas a espaçonave é atingida por um meteoro, e Roberto salva a vida do alienígina, e em troca (por ter salvo a vida de Lid), recebe um anel de luz negra feito com a energia magnética de Saturno que contém super-poderes.

E assim com esse anel poderoso, prometeu só usar o anel para o bem, assumindo uma nova identidade para combater os criminosos.

Seu principal inimigo é o Capitão Op-Art, cujo nome verdadeiro é Duarte Rodrigues, cientista especializado em robótica, formado na Alemanha e que foi afastados das forças armadas por desequilíbrio mental.

JUDOKA

No final dos anos 60, a editora Ebal publicava no Brasil as aventuras do herói Judomaster, da extinta editora americana Charlton, na revista Judoka. Com o cancelamento da revista americana na sexta edição, a Ebal resolveu criar a versão brasileira do herói. O Judoka com roteiros de Pedro Anísio e ilustrações de Eduardo Baron, estreou na edição 7 da revista.

A origem do herói mostra o adolescente Carlos da Silva salvando um idoso de um atropelamento, para descobrir em seguida que ele é um mestre do Judô, conhecido como Miamoto. Em agradecimento, o mestre decide ensinar os segredos da arte marcial para o rapaz, que passa a combater o crime. Com o tempo, Lúcia, sua namorada, também aprende as técnicas e junta-se a Carlos como heroína.

O Judoka fez bastante sucesso no Brasil e chegou a gerar uma versão para os cinemas. Em 1973 a publicação da revista foi encerrada e, apesar de ter algumas aparições em fanzines e histórias de fãs, nunca mais foi publicado oficialmente.
 

ULTRAX
Seu nome verdadeiro é Carlos Couto, e trabalha como geólogo. Apareceu pela primeira vez no site Quadroid (histórias em quadrinhos virtual, setembro de 2004).

Carlos Couto foi um geólogo em base científica na Antártida. Ela foi atacada e destruída por Sargozz, um vilão alienígina que estava em busca de um mineral precioso da Terra. Carlos foi o único sobrevivente e foi resgatado por Ziggy, um computador que comandou um navio da Patrulha Galáctica. A nave caiu sobre o Pólo Sul, foi severamente danificado e não foi capaz de voar de novo, por isso, para parar os planos malignos de Sargozz e tentar resgatar Hull-Traax, a patrulha do homem que o perseguia com a Terra, Ziggy Carlos recrutados no Galactic Patrol, dando-lhe a farda e as armas de uma patrulha de homens.

Ultrax é capaz de voar, possui maior resistência,  e tem invulnerabilidade (com campo de força-on). Pode tambem disparar raios de energia.

Seus inimigos são o Sargozz e Letha (vilões alieníginas), O Alucinado (um monstro de pele cinza) , o Krah-Niox (uma raça transmorph de um mundo distante).


VELTA

Velta é uma detetive que reside em Belo Horizonte, tem mais de dois metros de altura, cabelos longuíssimos e domina, como ninguém, as artes marciais. E tem mais: ela solta descargas elétricas por todo o corpo.

Velta é a musa das histórias em quadrinhos brasileiras. Amada por seus admiradores e odiada por seus inimigos, vem combatendo o mal desde a década de 1970, quando foi criada pelo quadrinhista paraibano Emir Ribeiro, um cabra que não teve receio de abrasileirar o quanto pode a mitologia dos super-heróis que tanto admirava. Além de um forte apelo erótico, suas histórias foram, desde o princípio, ambientadas no Brasil, com a participação de personalidades nacionais e uma cenografia quase perfeita.

Ao longo dos últimos 34 anos, Velta mudou bastante. Deixou de ser uma simples super-heroína decalcada dos modelos estrangeiros, para assumir personalidade própria. Publicada primeiro em jornais, depois em revistas e fanzines e, finalmente, em álbuns luxuosos e até em livros, Velta construiu um grande público leitor, ansioso por mais histórias dessa inusitada detetive paraibana.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Lançamento dos livros de Eduardo Spohr nas Livrarias Curitiba


Eu e Eduardo Spohr nas Livrarias Curitiba

Queridos leitores e blogueiros,

Como sou um fã de livros de ficção e fantasia, estou postanto esse post, em homenagem ao escritor Eduardo Spohr, a quem eu admiro muito, e ja troquei alguns emails tambem, e nele e em suas obras, me inspiraram para escrever o meu próprio livro (no meu caso, de mitologia).

Abaixo, vocês verão alguns vídeos, de como foi esse bate-papo, e a entrevista que esse escritor concedeu nas livrarias. São algumas cenas que mostram as perguntas que os visitantes fizeram, e algumas pistas de como vai ser a nova série de livros de Eduardo Spohr.

A quem interessar, os videos estão abaixo.

 

Lançamento do livro Filhos do Éden


Ouçam, não vejam. O vídeo pausará o tempo todo

LINKS

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Líderes contra uma Ordem Antiga




IMPÉRIO ROMANO. O maior e mais poderoso império de todos os tempos. Começava a ser fundada como uma simples vila na península itálica , e anos mais tarde dominaria o mundo.

Roma passou por varias etapas ao longo de sua existência: O Reino de Roma, A Republica Romana e por fim o Império Romano. Nessas tres fases distintas, essa população conheceu o auge e a supremacia de governar com pulsos firmes várias províncias poderosas e destruir quem se opusesse a ela.

Como Roma era conhecida pelos vários escravos que tinha e pelos inimigos que conseguia, revoltas, rebeliões e guerras aconteciam para acabar com essa ditadura romana. Abaixo vocês verão, os mais notáveis líderes que se opuseram contra os brilhantes generais romanos, e principalmente tirando a autoridade dos magníficos imperadores de Roma. POR ORDEM CRONOLÓGICA.

                                                 
                                            ESPÁRTACO

Líder da mais célebre revolta de escravos
                                            

Não se sabe quem era a sua família, só a sua origem: Trácia . Como a região da Trácia era uma província da Republica Romana , várias pessoas eram levadas a Roma e reduzidas a escravidão. Espártaco devido a sua força física, foi comprado por um mercador a serviço do lanista Lentulo Batiato, e levado para a escola de gladiadores em Cápua, na Campânia (Itália).
Espártaco como era grande e forte, chamou a atenção dos romanos que tomava conta dos escravos. Vencia todos os gladiadores nos treinamentos, conseguindo muita admiração pelos seus amigos escravos e tendo muito mais cuidado com os soldados.

A Revolta de Espártaco

Em 73 a.C., cerca de duzentos escravos da escola  sob a liderança de Espártaco revoltaram-se, devido aos maus-tratos que recebiam dos soldados, e armados apenas com facas de cozinha, atacaram os guardas da escola. Depois daquele fato inesperado, várias expedições foram mandadas para capturar Espártaco. Mas todas foram derrotadas pelos escravos, em batalhas ferozes, tendo-lhe custado a vida de muitos homens, tanto da parte de Roma, como da parte de Espártaco. Com essas batalhas sangrentas, e as vitórias dos revoltados, fez  Espártaco ficar temido por todos, inclusive pelos romanos.


Crasso é encarregado de matar Espártarco

Roma, indignada pela vergonha de seus homens serem vencidos e humilhados por escravos rebeldes, encarregaram o grande general Marco Licínio Crasso , de acabar com Espártaco. Crasso começou com uma perseguição implacável durante muito tempo contra os escravos e seu comandante. Pois soube, que havia tido um sério desentendimento entre os rebeldes, e que eles haviam se separado em duas partes. Crasso então enviou uma tropa para acabar com uma parte delas, porém foram derrotados, porque Espártaco chegou com o seu exército e fez cessar a perseguição, perdendo varios homens no combate. Com essa perda, Espártaco retirou-se para as montanhas de Petélia , perseguido sem trégua pela retaguarda por Quinto, um dos tenentes de Crasso.

 Porém, tudo mudou de repente, e Espártaco conseguiu derrotar os romanos. Esta vantagem obtida sobre os romanos deu origem à ruína final de Espártaco, porque seus guerreiros, encheram-se de orgulho e audácia que não quiseram mais combater, e nem obedecer mais a seu líder. Crasso garantido que a vitória estaria certa, fez uma trincheira para chegar a base dos escravos, que eles tentaram impedir. Antes da batalha final, Espártaco matou seu cavalo, e disse sua última frase para todos os guerreiros ali presente (contava-se 200.000 escravos no momento).

"Se eu for vencido neste combate, ele de nada me servirá. Mas, se eu for vitorioso, muitos deles, belíssimos e excelentes, terei dos inimigos à minha disposição"


No fim de tudo, em 71.a.C. , com um exército muito mais preparado e organizado, os romanos aniquiliram os escravos, esmagando a revolta de Espártaco, colocando um fim a maior célebre revolta de escravos da história . Crasso voltou a Roma, com um estilo triunfal, ganhando uma posição a mais pelo próprio senado romano.

Crasso puniu os que sobreviveram mandando crucificar 6000 revoltosos ao longo da Via Ápia (de Cápua até Roma).


VERCINGETÓRIX

Chefe dos grandes guerreiros

Quase 18 anos após a grande revolta de escravos liderados por Espártaco, mais uma estava prestes a surgir.

Seu  nome era Vercingetórix, nascido em Auvérnia (região da Gália) filho de Celtill, serviu no exército romano em 56 a.C., mas ja tinha ódio mortal deles e ja planejava uma resistência que marcaria para sempre a história da Gália .

Durante o primeiro semestre do ano 53 a.C., aldeias foram incendiadas e povos foram massacrados. Júlio César (ditador de Roma) , fingiu acreditar que a Gália estava pacificada e que nada estava acontecendo, mas ainda esperava pelo pior. Aconteceu em 23 de janeiro de 52 a.C., na floresta de Orleães, foi decidida, por ordem dos chefes gauleses finalmente reunidos, uma revolta geral na Gália. Em 13 de fevereiro de 52 a.C., os gauleses massacraram os cidadãos romanos de Orleães e a notícia então foi finalmente transmitida a toda a Gália. E em pouco tempo, Júlio César descobriu que os arvenos e gauleses, estavam sob a liderança de um único homem. Depois de tanto tempo desde aquela revolta dos escravos sob a chefia de Espártaco, mais uma ja estava sendo erguida. Agora o líder dessa rebelião, se chamava Vercingetórix .

Vercingetórix de início, encontrou dificuldades pela frente. Precisou ir as vilas mais próximas e recrutar os homens fortes e os vagabundos. Com esse primeiro exército, penetrou em Gergóvia, encorajou os habitantes da cidade à resistência, acabou por convencê-los e por expulsar os covardes e os traidores. Consciente de que podia realizar na urgência uma espécie de exército nacional,enviou mensagens aos principais povos da Gália para convidá-los a se rebelarem e a se colocarem sob sua autoridade.

Excelente organizador, ele recrutou soldados em cada povo, e ordenou a fabricação urgente de armas, dando prazos de entrega. Sabia que a cavalaria é a arma da decisão suprema numa batalha, e zelou por sua formação. Ameaçou queimar vivos ou torturar até a morte os que pensassem em traí-lo, e inclusive deu exemplos aterrorizantes entre os que mostraram alguma fraqueza ou algum medo, cortando-lhes as orelhas ou furando-lhes os olhos. César, ao tomar conhecimento dessas más notícias estava diante de um dilema na falta de tropas suficientes. Vercingetórix, segundo as previsões de César, desguarnece então suas posições do lado de Bourges e parte às pressas para Gergóvia, a fim de auxiliar seus aliados. César marcha a seguir, sobre Bourges. Advertido dessa aproximação, Vercingetórix deixou precipitadamente Gergóvia e retornou em direção a Bourges, indo primeiro a uma cidade dos bitúrgios. Nessa cidade de Bourges, ouve um confronto entre a cavalaria de César e a de Vercingetórix, resultando na vitória dos romanos, então os habintantes dessa cidade acabaram se rendendo definitavamente.

Vercingetórix guerreando contra os romanos

Vercingetórix decidiu então empregar meios extremos e praticar o que chamaríamos hoje a política da terra arrasada. Os gauleses corajosamente a aceitaram como um último recurso. Incendiaram suas aldeias e casas a fim de impedir os romanos de se reabastecerem de forragem e alimentos de primeira necessidade. Queimaram inclusive cidades que os romanos teriam tentado ocupar para escapar à escassez. César, como era um general e líder de grandes exércitos romanos, sabia perfeitamente a psicologia dos gaulses.

Vercingetórix acabou de cometer um erro que não deve ser cometido e que terá tristes consequências. Ele retirou-se na retaguarda de Bourges com seu exército de reserva e observou de longe, o avanço romano. Logo que esse exército romano chegou, Vercingetórix os atacou, os dispersou e causou também uma grande carnificina. Mas os romanos não estavam por vencidos, e acabaram atacando a cidade de Bourges várias vezes, derrubando as fortificações e massacrando muitos habitantes. Após muitas lutas, matanças e escaramuças muitas vezes sangrentas e muitas perdas, Vercingetórix não lhe restou senão um único recurso estratégico: encontrar um lugar que dificilmente seria conquistado e anexar ali com todo o seu exército. Ele escolheu Alésia . O ponto que decidiria a guerra dos romanos contra os gauleses.

O último exército de apoio gaulês tinha sido despedaçado. Os sitiados de Alésia, vendo os restos desse exército caírem, compreenderam que tudo estava perdido. Não tinha mais onde fugir ou lutar. Os romanos tinham cercado toda a área, e estavam totalmente armados com máquinas de guerra altamente destruidoras, com muitos exércitos alinhados e preparados para lutar. Vercingetórix convocou então uma assembléia e comentou dizendo sua última frase antes do fim.

"Não empreendi essa guerra para meus interesses pessoais, mas para a defesa da liberdade comum; e que, sendo preciso ceder ao destino, me ofereci aos meus aliados deixando-lhes a escolha de apaziguar os romanos por minha morte ou me entregar vivo"
Vercingetórix se rende a César
Após sua rendição, Vercingetórix foi levado prisioneiro a Roma e jogado em uma cela e muito provavelmente morreu estrangulado na prisão Mamertina em 46 a.C. 

Para lembrar: Vercingetórix não era um escravo assim como Espártaco foi. Pelo contrário, era um soldado romano, mas vendo as atrocidades que os romanos faziam e matando pessoas de sua região, decidiu rebeliar-se contra Roma.

Ele seria para sempre lembrado na história dos gauleses, como  Vercingetórix "O Chefe Supremo dos Guerreiros".


                             Bar Kokhba

O Filho da Estrela

Não há muitos relatos sobre esse homem, mas a sua origem era judaica . Esse homem, só foi ficar conhecido por toda Jerusalém , quando decidiu rebelar-se contra, agora o poderoso "Império Romano ".

Tudo começou,  após a viagem do imperador Adriano, pelo Oriente entre os anos 130 e 131, na tentativa de revitalizar o helenismo cultural do Império Romano naquela região. Entre seus planos estava a reconstrução do Templo de Jerusalém, onde seria erguido um santuário dedicado a Júpiter Capitolino . Essa decisão, feriu os sentimentos dos judeus, que não podiam aceitar a construção de um templo em homenagem a um " deus (pagão)" , encima do templo que foi construído por Salomão , com muito sacrifício e dedicação. Esse foi o principal motivo para acontecer a revolta judaica contra os romanos.

A guerra dos judeus contra os romanos

Quando a revolta começou, os romanos foram pegos logos de surpresa. Grupos de judeus armados, emboscaram coortes da Legio X Fretensis, (uma legião romana), dando várias perdas aos romanos. Como um rastilho de pólvora, a revolta se espalhou por toda a província, com os rebeldes fabricando, reunindo armas, e fortificando cidades. O governador da Judéia naquela época se chamava Quinto Tineio Rufo , e vendo que não poderia sufocar essa rebelião, chamou outros generais de nome, mas no fim, não foi possível impedir que os rebeldes tomassem Jerusalém e acabou por ser expulso da cidade.

A essa altura da rebelião, um nome estava sendo conhecido por todos: Simão bar Kokhba, o líder da rebelião, a quem deram o nome de "Filho da Estrela".  À frente de seu exército, Simão entrou em Jerusalém, foi saudado como "Príncipe de Israel", e proclamou a independência do estado judeu. Mas estes, ficaram escondidos em cavernas por cerca de três anos e meio. Neste tempo os judeus atacaram os romanos. Mas Simão nunca era encontrado.

A situação ficou tão séria, que Adriano vendo que judeus estavam tomando conta de uma de suas províncias, despachou para a Judéia seu melhor general, Sexto Júlio Severo, que estava governando a Britânia. Contando com dez legiões, além de tropas auxiliares (ao todo, cerca de cem mil homens) dividiu suas forças em grupos de pequenas unidades móveis, formando grupos de reação rápida que podiam responder prontamente, sempre que chegavam relatórios de atividades de guerrilha dos inimigos.

Durante este tempo de guerra, o general Sexto, procurou Simão por todos os lugares de Jerusalém. Por uma sorte incrível do destino, cerca de 50 esconderijos dos rebeldes foram localizados e eliminados, com 985 vilas judias foram destruídas na campanha. Até que em 135, Severo finalmente encurralou Simão em Betar, (6 milhas a sudoeste de Jerusalém). O general invadiu o território com seu grande exército, e guerrerou contra os guerreiros judeus, liderados por Simão. Apesar da corajem e força dos judeus, o refúgio foi invadido e os romanos massacraram todos os que nele encontram, incluindo Simão. Foi o fim do "Filho da Estrela" e da revolta judaica que um dia pensou em ser livre.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Semideuses: Os maiores heróis da mitologia

Em quase toda mitologia, os semideuses eram filhos de deuses com parceiros mortais, mas não necessariamente. Há relatos de varios heróis, que foram chamados de semideuses porque normalmente se destacavam por serem mais fortes que os humanos normais. São os casos de Jasão e Édipo.

OBS: Por favor não levem em conta os atores que eu coloquei ai para representar os heróis. Por isso (quem não gostar) imaginem outro personagem na pele desses guerreiros. Não irei contar toda as histórias deles (porém um pouquinho só, não vai fazer mal).

                                                       HÉRCULES
Símbolo da força sobre-humana

Na minha opinião, esse é o herói mais conhecido da mitologia grega. Filho do poderoso Zeus (rei dos deuses) com uma mortal, um símbolo do homem em luta contra as forças da Natureza, exemplo de masculinidade e força sobre-humana. Se sobressaia com suas façanhas desde joven pela sua força e coragem.

Logo depois de alguns meses de vida, ja era invejado por todos de sua famíla, por ser filho de Zeus. Por esse motivo, varias pessoas que compartilhavam sua alegria, o traiam pelas costas para poder mata-lo. Porém, ninguem conseguiu alcançar esse objetivo e esse semideus conseguiu marcar sua história na mitologia.

Embora Hércules seja um dos mais célebres heróis, não gostei dos filmes que fizeram sobre ele. Porque sinceramente é muito reduzida as histórias, e falam só sobre os doze trabalhos, e mais nada. Claro que pegaram atores que fizessem o papel verdadeiro dele, musculosos e avantajados, mas mesmo assim ainda falta mais um filme dele para bombar na mídia. Os trailers dão aquela impressão que o filme vai ser inesquecível, mas ao longe dele, eu ja me decepcionava com cada um.

Mas eu preciso confessar uma coisa a vocês. De todos os filmes dele, o que mais me chamou atenção foi esse: Hércules (Disney). Pena que é de animação, mas sinceramente foi o melhor até agora. Porque simplesmente não mostrou os monótomos 12 trabalhos, mas um enredo que foi diferenciado por ter feito outra história. Não teve aquele mesmo padrão de sempre de todos os filmes ja feitos, mas total variação e mudança. Resultando em uma história divertida e intrigante.

Aos que não assistiram, recomendo esse que eu coloquei em destaque, e depois vejam os outros e comparem todos os que viram. É um santo remédio.

Vejam:

>> Paul Telfer no papel de Hércules

AQUILES
O maior guerreiro na Batalha de Tróia

Em algumas lendas, afirmavam que Aquiles era invulnerável em todo o seu corpo, exceto em seu calcanhar, dai vem a expressão "o calcanhar de aquiles" que indica a principal fraqueza de alguém, teria aí a sua origem.
Ao nascer, sua mãe logo o mergulhou no rio estige, deixando imortal quase toda parte de seu corpo. Porém, esse ritual foi interrompido por seu marido e pai de Aquiles, o rei Peleu deixando-o vulneravel, o que acabou sendo o motivo de sua morte durante a "Guerra de Tróia"

O que mais me deixou fascinado por esse herói, foi sua capacidade de maior bondade e da maior violência. Nas fontes que li sobre Aquiles, pude concretizar que era um homem bonito, loiro e com estatura média. Criado nas montanhas pelo centauro Quíron, aprendeu a verdadeira arte da luta, sendo alimentado por varios tipos de comida ricas em proteína.

Sua vida é muito mais conhecida, na guerra contra Tróia. Era o mais belo dos heróis reunidos, assim como o melhor e mais inteligente entre eles. No começo da guerra, os tessálicos (povos antigos da Grécia), guerreavam bravamente contra os troianos. Tudo mudou, quando o principe de Tróia chamado Heitor, matou o primo do herói grego chamado Pátroclo por engano pensando que era o próprio Aquiles em pessoa.

Aquiles ao descobrir essa tragédia, vai sozinho até os portões de Tróia desafiando pessoalmente Heitor a uma luta até a morte. Até aquele momento, o principe Heitor matara exatos 28 guerreiros gregos, e Aquiles massacrou 22 guerreiros troianos. Os dois travaram uma grande batalha, resultando na vitória de Aquiles, trazendo o corpo morto de Heitor até os tessálicos. E a batalha mesmo sem Heitor ainda continuou, com Aquiles se glorificando cada vez mais.


Desculpem por não continuar essa grande história, mas para quem se interessou nessa guerra recomendo esse filme: "Tróia". Vocês não irão se arrpender.
Assista esses vídeos:

>> Aquiles invade o Templo
>> Aquiles vs Heitor
>> Seu nome será lembrado

TESEU
O homem forte por excelência

Para ser sincero, não conhecia muito a respeito de Teseu. Para mim, era um guerreiro como qualquer outro ja existente. Mas como sou fascinado por "mitologia", fui de cara nos livros e na internet a procura sobre esse herói.
Quando fui ao cinema junto com meu pai para ver Conan (que de fato adorei, mas outros infelizmente não gostaram), o trailer do filme Imortais (clique aqui para ver o trailer), surgiu como um raio na telona. Então quando falaram desse tal de Teseu, fiquei contando os dias para ver este filme. O resultado dele foi incrível, com várias imagens fortes e mortes horripilantes que jamais vi em filmes desta espécie.

Como todo o herói tem seus feitos, Teseu não ficou fora dessa, e teve seu momento de se destacar e alcançar a sua glória. Um homem simples como vocês podem ver na foto, conseguiu derrotar o temido "touro de creta", (uma fera imponente que aterrorizava a cidade de Creta). Com essa sofrida vitória, Teseu conseguiu respeito e liderança de seu povo.

Quem não assistiu o filme "Imortais", esperem para ver fortes pancadarias e muita ação. Dos produtores de 300, um filme imperdível para quem busca aventura e muitas batalhas. Vocês verão um homem humildes como nós, deixar sua marca na humanidade

Aos que viram e gostaram, fico feliz por partilhar a alegria de ver um bom filme de mitologia. Aos que assistiram e não gostaram, que vejam mais uma vez buscando entender o filme.

>> Imperdível: Estréia do filme Imortais

PERSEU
O herói que decapitou a medusa

 Por fim chegamos ao nosso último herói, pessoal. Perseu, o filho de Zeus com a rainha mortal da cidade de Argos. O que constata que é um semideus.

De todos os heróis que coloquei nessa postagem, Perseu é o mais simples, empatando apenas com Teseu. Porque se for para para pensar, os dois tem quase o mesmo destino (me corrijam nos comentários se eu estiver errado). Não quero ser chato em relação a repetições, mas os dois tem a vida extremamente parecidas.

Teseu é filho de Poseidon (Senhor dos Mares), Perseu é filho de Zeus (Rei dos Deuses). Teseu em algumas lendas nasceu na incrível cidade de Atenas e criado em uma pacata aldeia. Perseu nasceu tambem em uma grande cidade chamada Argos, mas foi criado por humildes pescadores. Teseu na adolescência cresceu vigoroso e forte como um herói. Perseu tambem na adolescência se tornou um grande homem, forte, ambicioso, corajoso e aventureiro. Teseu forte como era, conseguiu a façanha de derrotar o touro de creta. Perseu não ficando por fora, decapitou a medusa de górgona.

Por isso, acho que Perseu tem a vida quase igual a de Teseu, até os nomes são parecidos.

Para quem quizer conheçer melhor este herói,  visitem um espaço dele no Wikipédia (Perseu) e recomendo assistir o filme Fúria de Titãs, para verem como pessoas simples conseguem guardar seu nome no mundo.

>> Então é isso galerinha do blog. Esse foi mais um post que coloquei ai para vocês verem e desfrutarem de uma boa história de mitologia. Era como dizia o escritor " Thomas Bulfinch ", e concordo com ele perfeitamente, que "sem um conhecimento básico de mitologia, grande parte da literatura não seria compreendida nem apreciada".                             

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Ragnarok: A Batalha Final dos Deuses


 "O Ragnarok! Uma grande batalha entre os deuses de Asgard contra seus inimigos, colocariam o destino final da humanidade e do universo."

O Mundo esta em um colapso total. As forças de Loki estão se reunindo contra os guerreiros de Odin, para a ultima e mais importante batalha de todos os tempos. Com a humanidade se destruindo com suas próprias armas, não há mais nada a ser feito. Heimdall, o guardião da Bifrost e de Asgard, aguarda o momento vindouro para soprar a corneta Giarllarhorn.


Todos ja estão alinhados no campo de guerra. A batalha mais esperada de todos os tempos, está pronta para começar depois de bilhões e bilhões de anos a tanto aguardada.

De um lado Thor, Balder, os deuses e o onipotente Odin estão prontos para defender Asgard a qualquer custo com suas armas divinas.
Poderosos, Loki e seus seguidores irão atacar Asgard e os deuses, pretendendo acabar de uma vez por todas com a superioridade das divindades do reino eterno e principalmente da autoridade de Odin, buscando uma nova era para o universo.

A supremacia dos deuses continuará a persistir, ou a nova liderança dos revoltados colocará um fim nisso?

Será impossível descobrir a vitória.






>> Abaixo, confira o vídeo da escritora Mirela Faur sendo convidada pelo apresentador Ronnie Von no "Programa Todo Seu", para falar sobre a Mitologia Nórdica.



LINKS